sexta-feira, 17 de março de 2017

Ter Depressão Não é Frescura
























Sabe aquele tipo de coisa que só você só é capaz de entender quando finalmente acontece com você?
Pois é, a uns anos atrás se alguém me perguntasse sobre Depressão eu saberia apenas o que o senso comum ensina. Até diria que é um problema espiritual, carma de outras vidas, má alimentação, castigo divino, enfim, uma infinidade de explicações mirabolantes que explicam tudo menos a verdade sobre um problema tão sério que destrói vidas, famílias inteiras e que a cada ano aumenta seu número de vitimas.
Logo que com depressão fui diagnosticada percebi que enfrentaria além da doença a falta de conhecimento da maioria das pessoas que como eu tinha apenas um conhecimento muito limitado sobre o assunto e assim foi. Mas eu logo quis saber mais sobre o mal que me assolava e estudei muito sobre o assunto e hoje percebo o quanto fui ignorante julgando algo que eu não conhecia. 
Segundo dados  divulgados em 2015 pela OMS (Organização Mundial de Saúde), a Depressão mata mais que o HIV perdendo apenas para os acidentes de transito. Ainda ocupando um lugar tão expressivo no ranking por responsabilidade de mortes de pessoas apenas 28 países em todo o mundo adotam medidas estratégicas de prevenção. Penso que isso mostra que precisamos aprender muito mais sobre a doenças para ajudar os que estão ao nosso lado sofrendo com esse mal e até mesmo nos ajudar. Quanto mais sabermos sobre a doença mais estaremos preparados para enfrenta-la. 
Por se tratar de uma doença mental existe grande dificuldade de aceitação por parte das pessoas depressivas, principalmente pessoas do sexo masculino que ainda carregam em si a depressão como coisa de mulher trazendo consigo a ideia de que a doença seria algo voltado apenas para mulheres. De fato as pessoas mais atingidas são pessoas do sexo feminino, porem homens não estão imunes a ela.
A doença pode ser caracterizada primeiramente como uma tristeza que vai alem do comum, tristeza recorrente que dura dias, semanas, meses...
Se um individuo se encontra com mais de 5 sintomas é necessário procurar ajuda antes que a situação se torne pior. 

Os principais sintomas da depressão alem da tristeza recorrente é o humor alterado para o desanimo mesmo para situações que antes lhe proporcionava prazer, indiferença e falta de interesse. Outro sintoma persistente são transtornos no sono onde a dorme-se muito e por longas horas ou simplesmente não dorme por longos períodos. Eu procurei ajuda devido a falta de sono, eu não dormia por dois dias seguidos e quando dormia era por poucas horas. Mudança no apetite também é comum, ou come-se demais ou come-se muito pouco ocasionando também alterações no peso para mais ou para menos e em períodos curtos. A falta de concentração e o cansaço também estão presentes entre os sintomas e algo que considero o mais terrível de todos são os pensamentos sobre a morte onde a falta de interesse e prosseguir com a vida acaba totalmente e a única saída possível parece ser a morte. 
Certo dia li uma carta suicida deixada por um homem para sua família e um pequeno trecho explicou bem o que sinto quando estou em crise: "é melhor morrer do que viver com a morte dentro de mim". Essa pessoa se matou por não ter aguentando viver em estado eterno de tristeza de desesperança, a doença lhe atacou de modo que infelizmente não foi possível resistir. De repente os familiares e amigos não conseguiram perceber em que nível de gravida este ser humano se encontrava e não conseguiram ajuda-lo. 
Esse caso o fim foi esse, mas existem milhares de outras pessoas neste momento vivendo algo parecido e espero que para elas seja diferente. Se você esta do lado de alguém assim só posso dizer que sei que não é fácil ouvir alguém se lamentar e dizer coisas terríveis sobre a existência a forma patética de como se vê nela, mas algo é certo se para você é difícil ouvir saiba que para ela é muito mais difícil viver com tudo isso dentro de si. Ajude-a mesmo que for dando um abraçado forte e a deixando falar sobre e suas dores, coloque-se a disposição, demonstre interesse sem achar que tudo aquilo é besteira porque não é. 
A dor de alguém por mais que pareça pequena aos seus olhos, são as dores dela e estão pesadas para ela. Somos diferentes ainda bem e o que parece fácil e simples para você talvez não seja tão fácil e simples assim para outra pessoa. 
Depressão não é frescura mesmo que a mídia e o senso comum tentem banaliza-la. Estar triste nao significa estar com depressão e banalizar algo tão sério só fomenta que tudo continue como esta. 
Depressão não é frescura e estar doente com depressão não faz dela um fraco e sim alguém que esta enfrentando uma doença grave e que mata todos os dias. 
Ter depressão não é frescura. Tenha empatia e ajude. 
Eu nunca pensei que viria um dia ser uma depressiva e hoje aqui estou.
O mundo da voltas. 

Neuza Miranda 


Referências:

Imagens:
Fotografo Christian Hopkins, que vive na Filadélfia e foi diagnosticado com depressão aos 16 anos.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Final épico de The Vampire Diaries



"E esta é minha vida. Estranha, bagunçada, complicada, triste, maravilhosa, incrível e acima de tudo épica.
Eu vou vive-la da melhor forma que eu puder, pelo tempo que eu puder...Porque a paz existe e ela vive em tudo que amamos. Essa é a promessa de paz, que depois de uma longa vida nos encontramos novamente.
Helena Gilbert"



Depois de mais de 5 anos acompanhando The Vampire Diaries finalmente essa parte da minha vida chega ao fim.
Feliz por existir a ficção que vez ou outra traz alguns finais felizes.





sábado, 11 de fevereiro de 2017

O desafio de se desafiar

Um belo dia você se vê fazendo exatamente o que tempos atrás jurava que nunca faria. Ou se vê perguntando porque não começou a antes algo que a tempos tem vontade de aprender ou realizar. E ainda se pega lamentando por não se mover quando tudo que tinha que fazer era agir. Mas nessa briga entre o que devia ter feito e a lamentação de ainda estar por fazer, você ainda continua parado, pensando, imaginando, menos fazendo.
Infelizmente nem sempre nos daos conta de que falar em fazer e fazer são bem diferentes.
Comprei um violão, sempre tive vontade de tocar e planejei até  conseguir o meu, porém já se passaram 6 anos desde a compra e não sei tocar nenhuma música. Assustador até para mim mesma constatar que a presença do violão me iludia ou melhor dizendo eu mesma me iludia.
A exemplo da história do violão tantos outros desejos e planos ficaram perdidos através dos anos sem que nada fosse feito por eles. Alguns sonhos morreram e outros ainda continuam aqui esperando o fazer resolver agir.
A uns 15 dias atrás decidi finalmente aprender a tocar o violão mesmo que isso leve meses, anos, não importa. Todos os dias um pouco de treino e olhe só, já saíram os primeiros acordes.
Posso afirmar que vencer a vontade de procrastinar e insistir em algo que vale a pena é enriquecedor. Vencer a mim mesma é maravilhoso.
P.S: Insistir até que as notas virem acordes e os acordes musica.
Neuza Miranda

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Infância e lembranças

Lembro da época da escola em que eu me sentia sozinha e andava pelos cantos incapaz de cativar os outros alunos. Foi uma período difícil, mas hoje compreendo que sou diferente deles e que não havia mesmo como eu ser aceita. Eu tinha ideias diferentes, pensamentos sobre pedras deixadas pelo caminho, complexidade da vida, gostava de ler e tinha perguntas que ninguém sabia responder e que procuravam nem questionar. Eu era a menina sardenta que mais parecia menino e que todos tinham um apelido para dar. Apelidos que eu não gostava e que me faziam sentir feia e estranha.
Eu era boa em Língua Portuguesa, sempre tirava nota boa em redação. Me orgulhava disso. Gostava de Ciências, aquela parte dos reinos. Pensei até em ser bióloga e trabalhar com animais. Mas isso foi a muito tempo.
Naquela época eu via os professores como autoridades, como pessoas a quem eu deveria chamar de senhor e senhora e que detinham todo o meu respeito. Queria ser como eles, hoje percebo o quanto eles são desmerecidos por quem mais deveria incetiva-los.
Lembro da escola como um mundo a parte. A arquibancada, a quadra de futsal e a quadra de areia, a sala de aula, a merenda, o parquinho, a diretoria, o bebedouro, a biblioteca. No fundo parece que nunca estive la. Parece que tudo pode ter sido apenas um sonho e não sei distinguir o que é real do que é imaginário.
Não sei dizer se minha infância foi feliz. Só consigo essa resposta se comparar com a infância de outras crianças que de repente não tiveram o mesmo que eu. Algo que sempre vou lembrar com muito amor é que do fato do meu pai querer me dar tudo o que podia e lutar pelo que não podia. A vontade dele em me dar o melhor me faz pensar que eu tive muita sorte.
Falar dessa época me deixa em meio a uma confusão de sentimentos e acho que a melancolia predomina.
Lembro das vezes em que fui ao sitio dos meus avós em especial de uma vez que eu brincava com meus primos no grande quintal da frente da casa e minha mãe avisou que já era hora de ir embora. Lembro que com tristeza tomei banho e vesti uma roupa de cor clara que ela insistia em me pedir para tomar cuidado para não sujar. Depois disso não lembro de ter voltado ao sitio.
E talvez a lembrança mais estranha seja da minha mãe tentando esconder o choro quando nos mudamos do interior para a capital do estado. Ela chorava baixinho enquanto o carro da mudança avançava rápido pela estrada e aquilo me deixou pensativa. Não sabia o quanto aquela mudança estava fazendo mal a ela. Penso que os pais e os filhos poderiam ser mais próximos e permitir se conhecerem. Isso mudaria tanto na vida de ambos.
Além do Tom, meu gato que me sumiu na mudança, ficaram para trás tantas coisas. Acho que uma parte de mim, de quem eu era. É difícil falar de sentimentos que senti a quase 20 anos atrás, mas algo é certo, eu não seria esta mesma se la tivesse ficado. Tenho um pouco de medo até de imaginar o que teria sido. Escolho o agora por não sabe como seria se tudo fosse diferente.

sábado, 5 de novembro de 2016

10 filmes que você não pode perder no Netflix



Amo filmes e sou daquelas que faço comparação de um ator em um filme e outro, observo a fotografia, figurino, música, vejo quem é o diretor e sempre busco pelas críticas e fiz a lista dos 10 filmes que encontrei no Netflix nos últimos tempos e que assino embaixo. Aproveitei minhas férias da faculdade para esvaziar a minha lista, mas acabei me dando mal porque a lista só aumentou.
Mas, vamos la. Eis a lista e aviso que não é um ranking pois tem diferentes gêneros de filmes e adorei todos eles.


10 - A duquesa

Esse filme é um daqueles que te deixam impotente diante dos acontecimentos e faz refletir como era difícil a vida da mulher no passado. Não que hoje não seja, mas hoje esta menos pior do que no século XVIII época em que a história acontece.
Georgina é uma jovem de 18 anos que "afortunadamente" é pedida em casamento pelo Duque  de Devonshere. Ao saber do pedido de casamento a primeira pergunta de Georgina foi "ele me ama?".
Se ele a ama você só saberá assistindo esse grande filme que alias foi vencedor de um Oscar por melhor figuro. A duquesa é adaptação de um livro.

9 - Perfume - A história de um assassino

Perfume se passa na Paris de 1738 e também é adaptação de um livro e alias muitos apostaram que jamais nenhum diretor conseguiria transmitir para as telas tudo que o livro transmite ao leitor. Pois bem, o filme é maravilhoso ao explorar um sentido difícil de ser explorado por imagens: o olfato. Perfume conta a trajetória desde o nascimento de um assassino e sua busca da perfeição. Mas será possível encontra-la?

8 - Perigos da Rede

Perigos da rede foi um daqueles filmes que assisti sem muitas esperanças e que me surpreendi pelo apelo psicológico que o filme traz. Logo de início nos deparamos com um casal de meia idade casados a mais de 20 anos, com duas filhas, empregos simples e rotinas comuns. O grande problema é que na primeira oportunidade o nosso personagem principal se envolve em uma situação ariscada em busca de dar um novo sentido a sua monótona vida e é ai que os problemas começam.
Esse filme me fez pensar em tantos casais que se encontram no mesmo lugar com o mesmo problema e que irão se deteriorar apenas por não se conhecerem e não buscarem por soluções que poderiam evitar tantos problemas. Esse filme tem um final surpreendente.

7 - Seven - Os sete crimes capitais 

Este filme traz um dos meus atores preferidos que é o Morgan Freeman e de quebra Brad Pitt. Os dois são detetives e buscam solucionar uma série de crimes interligados. O que me chamou atenção nesse filme foram os diálogos que podem ser perturbadores se analisados com mais cuidado. Assista e tire suas próprias conclusões.

6 - De coração partido

De coração partido conta a história de uma mulher que sofre violência doméstica e após uma agressão aciona a policia. O marido cumpre alguns anos de pena e ao ser liberto se diz mudado e quer correr atras do tempo perdido. O grande x da questão é que agora existe uma criança na jogada. O que você faria por amor? Um filme emocionante que nos faz pensar que apesar de nossas melhores intenções nosso limites precisam ser identificados.

5 - Lila e Eve

Esse filme realmente me impressionou. Confesso te-lo assistido apenas pela participação da Jennifer Lopez que eu amo e foi uma surpresa. Tudo gira em torno de uma mãe que enfrenta a dor da perda de um filho e que nem ao menos pode ver o assassino preso. Deprimida e sofrendo um inferno em vida ela procura um grupo de apoio para mães onde conhece uma amiga e a partir de então começa a traçar sua própria vingança. Esse é outro daqueles filmes com final surpreendente.

4 - A entidade 

Confesso que adoro filmes de suspense e terror, mas gosto de filmes inteligentes que explorem com astucia o tema e A entidade me cativou. Nos deparamos com uma família que acaba de se mudar para uma nova casa em uma nova cidade e o pai, escritor de livros, inicia um novo projeto e o que ele não imagina que ao mudar-se para essa nova casa esta assinando um contrato com situações nunca antes vividas e até sua sanidade começa a ser questionada. A entidade é um filme completo, tem suspense do começo ao fim, traz uma enredo completo com começo, meio e fim e não deixa pontas. Filme de suspense/terror impecável. Para quem gosta de tomar uns sustos ta ai minha indicação.

3 -  Entre o céu e a Terra

Se você optar por assistir entre o Céu e a Terra prepare o lencinho porque vai precisar. Esse filme conta a história de dor e superação de uma vietnamita. Só por ai já da para imaginar o que vem pela frente. A fotografia desse filme me agradou muito e as reviravoltas enfrentadas pela personagem principal é impossível não comoverem. Sem mais delongas, assista. Filme forte e bem feito.

2 - Hope 

Ta ai outro filme emocionante. Hope contra a história de superação de uma garotinha e sua família que sofrem o choque de um abuso sexual com consequências físicas graves. Apesar de tratar de um tema tão forte, Hope o trata com uma delicadeza tocante e é impossível não se envolver e se emocionar com os desafios ultrapassados por essa família.

1 - A girl like her

Esse filme proporciona um misto de emoções ao tratar de um assunto tão importante como o bulling, porem o diferencial é que podemos acompanhar a vida da vitima e da agressora e traçar os paralelos entre uma e outra. Será que a pessoa que pratica o bulling é tão forte e maioral como tenta demonstrar ser? Um filme pesado e cheio de questionamentos que nos fazem pensar sobre quem somos, como somos e porque somos.

Bem galerinha, chegamos ao fim dessa listinha básica. Espero que vocês aproveitem as dicas.
Prepare a pipoca e bom filme.





Gatilhos da Depressão


Ola queridx leitorx

Se você ainda não esta familiarizadx com a depressão, talvez não tenha ouvido a respeito dos "gatilhos".
Mas afinal o que é isso?
Bem, os gatilhos são como se fossem botões que quando pressionados ativam uma crise depressiva.
Logo no começo do meu tratamento eu não fazia ideia de quais eram os meus gatilhos, mas hoje já mais madura e a algum tempo convivendo com a doença consegui identificar esses ativadores de crise.
Para cada pessoa os gatilhos são diferentes e talvez leve algum tempo para estes serem percebidos.
Os meus gatilhos são:


  • Algumas músicas 

Posso fazer até uma listinha com as músicas que me fazem ficar mal. Dependendo da situação com toda certeza uma crise que durará por dias e me causará enormes prejuízos será acionada.
Créditos na imagem

Vento no Litoral - Legião Urbana
Ghost - Charlene Sorais
Todas da cantora Bird
My Imomrtal - Evanescence

Essas são apenas algumas de uma enorme lista de música que apesar de considerar a letra, melodia lindas prefiro manter distância pois sei que a nostalgia e melancolia que me trazem não me fazem bem.


  • Lembranças de pessoas 
No decorrer de nossas vidas podem acontecer situações em que pessoas marcam tanto que só de lembrar já causa dor. Evito alimentar pensamentos sobre tais pessoas. Pode parecer difícil, mas conheço muita gente que vive stalkeando e se mantendo conectadx a lembranças e pessoas que causam dor e consequentemente se tornar um gatilho. Algumas lembranças tem que ficar em um gavetinha fechada chamada passado e esquecermos que essa gaveta existe. Em um término de relacionamento por exemplo, o melhor a se fazer é se livrar de tudo que remeta a pessoa. Fotos, vídeos e etc. Reviver o passado impede de seguir em frente.

  • Lugares
Alguns lugares podem proporcionar tantos sentimentos misturados e ser um gatilho. Talvez um dia deixe de ser, mas por hora enquanto sabemos que é o melhor é evitar.

  • Assuntos dolorosos
Bem, isso é ainda mais complicado porque não depende apenas de você. Pessoas ao redor podem tocar em feridas que talvez você ainda não tenha se tratado e só o fato de mencionar o assunto já te leva para uma crise. O melhor é ser claro e dizer que não quer falar sobre isso e ser firme. Eu procuro não alimentar pensamentos que sei que causam dor e acredito que isso não é fugir e sim reconhecer meus limites. Na hora certa e quando eu estiver preparada tratarei esses assuntos com meu terapeuta. 

Os itens que citei são apenas alguns dos meus gatilhos e tenho trabalhado sobre eles. Um grande avanço foi te-los identificado. Sugiro que você tente fazer o mesmo pois ciente de suas fraquezas será mais fácil aumentar suas forças. 

Um abraço carinhoso. 


P.S. Você é muito mais forte que a depressão.



sábado, 22 de outubro de 2016

Depressão x Auto-estima



Antes da depressão eu era uma pessoa ativa. Ia na academia todos os dias, tinha uma vida social bem agitada, gostava de cuidar das unhas, cabelo, corpo e me sentia muito bem com minha aparência. Logo que me vi com depressão o primeiro setor de minha vida a ser afetado foi minha auto estima. Deixei a academia e em poucos meses engordei 20 kg. Em muitos casos a pessoa com depressão emagrece, isso depende de cada um. Eu comia muito e sem parar, fato que nunca foi normal para mim. Com o aumento de peso a auto estima caiu mais ainda. Meus cabelos eram loiros a muitos anos e pintei de preto, não cuidava mais das unhas e nem me preocupava com as roupas. Isso resultou em uma pessoa muito insegura.
A depressão tenta inutilizar e incapacitar a pessoa ao nível dela acreditar que não é capaz de fazer o que antes fazia parte da rotina. Ao invés de se cuidar e ir ao encontro das pessoas queridas, a única vontade é estar sozinho, no quarto, no escuro. Só que essa vontade nunca passa e cada vez mais a pessoa se afasta do mundo e de tudo que antes fazia parte de sua vida. Isso envolve termino de relacionamentos, perda de emprego e perda de tantas oportunidades. O quadro piora quando não há ninguém ao lado que perceba o que esta acontecendo e o ajude. 
Acredito que aos primeiros sintomas deve-se buscar ajuda. Terapia com psicologx ajuda muito a identificar e tratar o problema e se necessário elx vai te encaminhar ao psiquiatra. Eu sei que de cara da medo essa coisa de psiquiatra, o primeiro pensamento que pode ocorrer é acreditar que esta ficando louco associado a vergonha de falar sobre isso com família e amigos. Mas saiba que transtornos dessa natureza são muito mais comuns do que você pensa e você não esta loucx, só esta doente e precisa de ajuda. Isso vai passar. 
A depressão faz com que um banho seja difícil de ser realizado. Se cuidados básicos com a higiene são difíceis de serem realizados, imagine algo mais complexo como cuidar da aparência. 
A mensagem que deixo sobre isso é te mostrar que qualquer um de nós podemos nos encontrar com depressão ao longo da vida e que isso não é o fim. Não se envergonhe ou se sinta derrotado por estar hoje nessa situação. Busque ajude, continue acreditando em si e não desista. Se achar que não tem mais forças, ainda assim tente mais uma vez. Quem lhe pede isso é alguém que viveu dias escuros dentro de um quarto, mas que não desacreditou que ainda havia uma luz que brilhava ao longe e foi atrás dela. 


quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Não tenha medo de falar sobre seus sentimentos

Um dos principais motivos para a destruição dos relacionamentos é a falta de dialogo. Em uma simples conversa poderiam ser resolvidas questões que se estendem e se enraizam a ponto de causar enorme prejuízo a vida das pessoas. Falar, se abrir sem medo, com a convicção de que suas incertezas e desejos não são qualquer coisa. São os seus sentimentos e quem esta ao seu lado precisa conhece-los para compreende-los e juntos encontrarem as respostas. Não tenha medo de falar sobre o que sente e se a pessoa não prestar atenção significa que talvez ela não esteja merecendo compartilhar dos seus anseios e alegrias e nem de sua vida.




























segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Você não precisa provar nada a ninguém

Quando você acorda e em seguida lembra das contas para pagar, dos compromissos que precisa resolver urgentemente, das dores no corpo, dos inúmeros projetos que ainda não concluiu e também daqueles que nem começou, dos sonhos que tem e que não consegue tirar do papel, do casamento infeliz que não consegue terminar, das crianças que estão crescendo rápido demais e que você se sente por muitas vezes perdendo o controle, do peso que esta acima do ideal, das dor na consciência. São tantos fardos que você carrega neh.  E o mundo cobra tanto, te julga, te ofende, te intimida e te questiona. Cobra tanto que você se vê tentando se justificar para família, amigos, colegas e até pessoas que você nem conhece.
Se quer fazer uma tatuagem, colocar um piercing, usar uma roupa diferente, mudar a cor ou corte do cabelo, buscar outro emprego ou até mesmo se dedicar a algo que goste de verdade, se vê rodeadx de questionamentos de pessoas que nada sabem de meus sentimentos ou sofrimentos e que nada fazem para contribuir com sua felicidade. E isso acontece o tempo todo. Estive pensando sobre isso e chego a conclusão de que temos que filtrar muito bem as pessoas que merecem nossas explicações porque é muito cansativo e inútil explicar e satisfazer a curiosidade e mediocridade de pessoas que não acrescentam e apenas minam nossas forças e destroem nosso emocional.
Nossas dores e nossas fraquezas não podem ser questionadas por quem não esta ao nosso lado em nossas lutas. Cabe a cada um de nós nos empenharmos em realizar nossos planos e nos preocupar menos com pessoas que só julgam e questionam por prazer.
Não precisamos provar nada a ninguém a não ser nós mesmos.
Nossos sonhos tem valor e nossos desafios e conquistas merecem todo respeito.
Nunca se esqueça que seus fardos apenas você carrega.



quinta-feira, 13 de outubro de 2016

O nosso destino



Quando criança achava bonita a ideia de que tudo estava escrito. Que todas as pessoas que entram ou saem de nossas vidas já estavam destinadas a cruzarem ou saírem de nossos caminhos e essa crença de certa forma me fazia sentir mais aliviada e consternada diante de um acontecimento ruim. Porque se tudo já estava escrito então o que aconteceu de ruim era apenas algo que antecederia algo realmente bom.

Mas sabe? Essa ideia começou a vir por terra quando comecei a raciocinar sobre minhas escolhas e meu livre arbítrio. Se tudo já esta predestinado a acontecer, então não importa o que eu queira e nem o quanto eu deseje e me esforce para conseguir. Se aquele emprego dos sonhos não estiver em meu destino, não importa o quanto eu me esforce eu não irei consegui-lo. Ou se eu desejo morar em Portugal por exemplo, não importa o quanto eu tente e lute por isso, nada vai mudar o fato de que eu não vou a lugar algum se isso estiver escrito em meu destino.

Comecei a questionar meu papel em minha própria vida. Não consegui de todo modo encontrar uma forma de deixar de lado as consequências de minhas escolhas e atribuir tudo ao destino. Por fim conclui que não acredito em destino, livro da vida, pre destinação ou seja lá como chamam isso.
Muito fácil eu cometer um crime e atribuir a culpa ao destino como se nada do que eu fiz tivesse contribuído para isso. Se eu tenho um sonho o mais sensato é lutar por ele. Não acham?

Sou cética quanto a acreditar que o meu destino esta traçado e se eu concluísse que isso fosse verdade não haveria necessidade de estudar para uma prova até porque já estaria escrito que eu iria bem nela.
Essa coisa de escrito nas estrelas pode até ser bonitinho e poético, mas penso ser mais uma muleta dentre tantas que vez ou outra usamos apenas para tentar mascarar nossos erros e fraquezas.
Penso que nossas vidas sejam escritas e traçadas por nós mesmos na medida em que escolhemos estudar do que ir para a balada ou quando optamos por um trabalho e descartamos outro e até quando resolvemos lutar ou desistir de um ideal.
Não estamos destinados a nada. Temos a liberdade de escolher entre o sim ou não, o bem ou o mal, entre ir ou ficar e tantas outras escolhas que nos é oferecidas constantemente por toda nossa existência. Me sinto aliviada por perceber tudo isso. Eu posso ser o que eu quiser e posso buscar qualquer que seja o meu desejo. O destino, falando em metáfora, é escrito por minhas próprias mãos.