sábado, 5 de novembro de 2016

Gatilhos da Depressão


Ola queridx leitorx

Se você ainda não esta familiarizadx com a depressão, talvez não tenha ouvido a respeito dos "gatilhos".
Mas afinal o que é isso?
Bem, os gatilhos são como se fossem botões que quando pressionados ativam uma crise depressiva.
Logo no começo do meu tratamento eu não fazia ideia de quais eram os meus gatilhos, mas hoje já mais madura e a algum tempo convivendo com a doença consegui identificar esses ativadores de crise.
Para cada pessoa os gatilhos são diferentes e talvez leve algum tempo para estes serem percebidos.
Os meus gatilhos são:


  • Algumas músicas 

Posso fazer até uma listinha com as músicas que me fazem ficar mal. Dependendo da situação com toda certeza uma crise que durará por dias e me causará enormes prejuízos será acionada.
Créditos na imagem

Vento no Litoral - Legião Urbana
Ghost - Charlene Sorais
Todas da cantora Bird
My Imomrtal - Evanescence

Essas são apenas algumas de uma enorme lista de música que apesar de considerar a letra, melodia lindas prefiro manter distância pois sei que a nostalgia e melancolia que me trazem não me fazem bem.


  • Lembranças de pessoas 
No decorrer de nossas vidas podem acontecer situações em que pessoas marcam tanto que só de lembrar já causa dor. Evito alimentar pensamentos sobre tais pessoas. Pode parecer difícil, mas conheço muita gente que vive stalkeando e se mantendo conectadx a lembranças e pessoas que causam dor e consequentemente se tornar um gatilho. Algumas lembranças tem que ficar em um gavetinha fechada chamada passado e esquecermos que essa gaveta existe. Em um término de relacionamento por exemplo, o melhor a se fazer é se livrar de tudo que remeta a pessoa. Fotos, vídeos e etc. Reviver o passado impede de seguir em frente.

  • Lugares
Alguns lugares podem proporcionar tantos sentimentos misturados e ser um gatilho. Talvez um dia deixe de ser, mas por hora enquanto sabemos que é o melhor é evitar.

  • Assuntos dolorosos
Bem, isso é ainda mais complicado porque não depende apenas de você. Pessoas ao redor podem tocar em feridas que talvez você ainda não tenha se tratado e só o fato de mencionar o assunto já te leva para uma crise. O melhor é ser claro e dizer que não quer falar sobre isso e ser firme. Eu procuro não alimentar pensamentos que sei que causam dor e acredito que isso não é fugir e sim reconhecer meus limites. Na hora certa e quando eu estiver preparada tratarei esses assuntos com meu terapeuta. 

Os itens que citei são apenas alguns dos meus gatilhos e tenho trabalhado sobre eles. Um grande avanço foi te-los identificado. Sugiro que você tente fazer o mesmo pois ciente de suas fraquezas será mais fácil aumentar suas forças. 

Um abraço carinhoso. 


P.S. Você é muito mais forte que a depressão.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para mim.
Deixe seu comentário.