quarta-feira, 3 de maio de 2017

Conhece-te a ti mesmo (Sócrates)

Sócrates disse a celebre frase "Conhece-te a ti mesmo" no ano de 399 a.C. e tais palavras permanecem tão atuais como quando foram ditas.
Esta semana foi especial para enfrentamento da minha doença pois me deparei com fatores que facilmente se tornariam gatilhos para uma crise e em meio a essa turbulência de emoções e conflitos , iniciei uma jornada em busca de mim mesma. 

As ferramentas que tenho usado são vídeos, áudios e livros sobre o tema autoconhecimento e me deparei com inúmeros questionamentos e itens a serem trabalhados, mas o questionamento marcante que surgiu em primeiro plano foi: 

1 -  Quem sou?

Poderia facilmente responder que sou uma estudante de 28 anos e me limitaria a essa definição. Porem algo muito importante se fez notar e entendi que essa resposta é tão vazia e superficial que não posso me contentar com ela. 

Embarquei rumo a resposta que se escondida e o tema autoconhecimento a todo instante me mostrou o quanto pouco sei sobre quem sou e do quanto preciso me aproximar de mim mesma. Somente o soar da pergunta e o refletir sobre o quanto profundo ela é permitiu enxergar o quanto tenho sido dura comigo mesma e o quanto tenho me condenado me tratando como alguém sem
valor. Eu não trataria uma amiga da forma como tenho me tratado. 

Ao me perguntar quem sou surgiram tantos conflitos internos que rapidamente entendi o tempo que tenho perdido buscando em outros lugares e outras pessoas o que ha muito deveria ter buscado e cultivado em meu eu. 

A resposta para a pergunta vem acompanhada da explicação de que sou tudo aquilo em que acredito. Sou um conjunto de crenças e valores adquiridos ao longo da vida e que me fazem agir da forma como agido e viver da forma como tenho vivido. Essas crenças e valores podem ser bons ou ruins permitindo que eu me veja como alguém que merece ser amada e feliz ou como alguém que vai sofrer o resto da vida por não ter forças ou por não merecer estar aqui. esses conjunto de valores e o que sou não podem ser separados pois vivo da forma como vejo como o mundo. Se o mundo me parece um lugar frio e imundo ou se me parece um lugar cheio de possibilidades inclusive o de ser feliz, nas duas hipóteses estou certa. Sou o que acredito ser e vivo como acredito que a vida é. 

Noto que o pessimismo e o vitimismo tem me guiado a muito tempo e através deles cheguei até aqui. É o momento de fazer algo maior por minha qualidade de vida e felicidade. Jogar pesado contra a depressão.

O que sou não é permanente, ao contrário, é um ser em desenvolvimento e em constantes mudanças. Portanto a melhor resposta que encontrei foi:

Neste momento sou alguém que acredita que pode mudar a visão negativa que tem nutrido sobre o mundo e as pessoas. Alguém que tem um grande potencial a ser usado e alguém que pode e vai superar seus limites.

Te convido a vir comigo nesta busca pelo mais importante de nossas vidas que somos nós mesmos.
Se faça a pergunta quem sou e anote tudo que conseguir responder. Revise as respostas e reformule uma nova. Vamos ultrapassar nossos limites conhecendo-os e nos preparando para enfrentar não apenas a depressão, mas qualquer outro obstaculo que se colocar em nosso caminho.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para mim.
Deixe seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...